A Semana Santa

A SEMANA SANTA
A Paixão de Cristo em Santa Maria da Feira

 

Requiem do século XX em destaque na programação

O rigor dos últimos dias da vida de Jesus Cristo e o Seu padecimento nas mãos dos homens – a Paixão, voltam às ruas de Santa Maria da Feira, naquele que é um dos mais emblemáticos eventos do calendário cultural da cidade. Contando mais de 20 anos de tradição, em que sociedades eclesiástica e civil unem esforços pela excelência da recriação histórica de momentos ímpares, carregados de emoção e espiritualidade, a Semana Santa 2018 chama a cultura, em momentos altos dos derradeiros da vida do Salvador.

 

De resto, a iniciativa que teve início em 2017 – Correr as Capelinhas, junta-se novamente à programação, depois do sucesso e adesão excecionais do ano anterior. O resgate de tradições da gastronomia pascal e o conhecimento ou reconhecimento do património arquitectónico religioso da cidade de Santa Maria da Feira voltam a estar em destaque. A iniciativa dá o arranque à programação de 2018 em sábado de Ramos, a 24 de março, seguido pela “Entrada Triunfal”, a 25 de março. A restante programação, com a “Última Ceia” e a “Via Sacra” seguem-se em semana santa, a quarta e sexta-feira, respetivamente. Aludindo à Paixão, acontecerão as celebrações eucarísticas do calendário litúrgico e outras iniciativas como visitas guiadas ao património e concertos de música sacra.

A Procissão do Ecce Homo ou Endoenças, uma tradição centenária e uma das mais antigas do país, terá também o seu lugar de destaque, acontecendo na noite de 29 de março.

Uma aclamação fulgurosa à misericórdia e à própria Paixão de Cristo será vivida e ouvida no concerto Requiem, a 24 de março à noite na Igreja Matriz, escrito para coro, órgão e seis instrumentos – harpa, violoncelo, flauta, oboé, tímpanos e glockenspil. Este Requiem distingue-se dos demais tendo em conta que o seu autor, o compositor britânico John Rutter, faz uma mescla de textos tradicionais em latim com salmos e textos bíblicos em inglês. Esta partitura terá sido concluída em meados da década de 80 do século passado e é uma das poucas obras contemporâneas do seu género e será executada pelo coro “Musicam Sacram” do Colégio de Música de Fiães.

Com a organização e produção a cargo do Grupo Gólgota, da Feira Viva, da Câmara Municipal, contando com a estreita colaboração de outras entidades e forças vivas do concelho, de 24 de março a 2 de abril a cidade volta a receber a Semana Santa. Com características singulares, utilizando toda a cidade como palco dos episódios bíblicos, encenados neste período, a Semana Santa de Santa Maria da Feira tem dado provas de que é já muito mais que um evento religioso, assumindo uma forte componente cultural e social.

NEWSLETTER

Subscreva a nossa newsletter